coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Especial...

[ arquivos

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Sexta-feira, 23 de Março de 2007

Especial...

Não sei já onde primeiramente tropecei, mas os trambolhões do raciocínio pararam ao fim de várias cambalhotas na lembrança daquelas caixas de palitos que havia, e ainda haverá talvez, em muitos restaurantes, com a inscrição "Fabrico especial para esta casa".

Lembro-me que quando mais jovem aquilo de impressionava. "Especial" uau! Seria necessária muita especialização e dedicação e empenho para fazer palitos apenas para aquela casa, leia-se restaurante. Como o meu universo de restaurantes era muito pequeno, o facto de um ou outro ter palitos especiais bastava-me para fundamentar a crença na veracidade daquela afirmação. À medida que o universo se expandiu (só um pouco, ainda falta muito) começaram naturalmente a rarear aquelas especialidades e a aparecer outras diferentes. Conclusão natural: afinal aquilo não era tudo, e o tudo é muito mais que aquilo.

Será que ainda se fazem aquelas caixas de palitos? Será que aquele marketing ainda funciona? A lógica que o anima é muito simples e usa uma faculdade do raciocínio humano: na ausência de conhecimento qualquer informação adicional e, sobretudo, adjectivada entra facilmente para a nossa hierarquia de valores. A informação será válida até outra se lhe sobrepor por maior autoridade de lógica e/ou prova. Todavia são perigosas todas as informações estruturantes de raciocínio que bloqueiam outras adições de conhecimento, sejam elas quais forem. Acho eu.

música: Reggae
publicado por coisas minhas às 22:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links