coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ Carnaval palerma

[ arquivos

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

[ visitas

Quinta-feira, 10 de Março de 2016

O homem que não existe

A maioria de nós somos anónimos. Nascemos, vivemos e morremos sendo relevantes só para alguns. Em sete mil milhões de pessoas, a vida da maioria passa despercebida de todos os outros. Alguns são menos anónimos, pelo que fazem, dizem, provocam ou ignoram, seja para o bem ou para o mal. E há alguns que só existem por causa de outros. A saída de cena do presidente da república lembrou-me dum outro personagem que, só por arrasto, quando aquele foi primeiro-ministro, se tornou pública. Este tem existência anónima como a esmagadora maioria. Fez umas coisas que terão a sua importância contextual. Entre outras, teve um cargo político que o faz ter existência quando se refere uma outra pessoa: José Saramago. Quando se fala de José Saramago por vezes fala-se dessa pessoa, mas só por causa de Saramago, não por mérito próprio. O inverso nunca acontece. Nesse sentido, esta personagem é um homem que não existe.  
publicado por coisas minhas às 08:52
link do post | comentar | favorito

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links