coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Ronaldo é apresentado hoj...

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ arquivos

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

[ visitas

Sábado, 25 de Setembro de 2010

Um simples deslumbramento

Vim da FNAC deslumbrado com uma coisa tão fantástica como simples. Uma síntese da Genialidade, com a Arte consubstanciada em simples pedaços de plástico: um jogo de xadrez, porventura o mais genial entretenimento criado pelo Homem, com figuras do Astérix! E as escolhas das personagens para representar cada uma das peças não podia ser mais perfeita. Do lado romano estava César e Cleópatra, como rei e rainha. Dois centuriões eram os bispos, dois leões como cavalos e duas colunas romanas como torres. Na linha da frente os peões eram representados por oito magníficas àguias imperiais. Do lado gaulês estava Abraracourcix e Bonemine, como rei e rainha, Astérix e Obélix como bispos, dois javalis como cavalos e as torres eram dois belíssimos e elegantes menires, devidamente adornados com um laçarote vermelho (como aquele menir que o Obelix oferece à Falabala, lembram-se?). Os peões gauleses eram oito orgulhosos galos de peito feito e crista levantada. Podia ser mais perfeito? Podia! Era eu ter um, e o meu deslambramento era já outra coisa.

publicado por coisas minhas às 00:45
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De mario a 5 de Outubro de 2010 às 04:10
Não vi, mas deduzo que seja soberbo... acho que, e sem ver, atenção, apenas trocava as águias imperiais por gladiadores romanos...
De ics a 27 de Setembro de 2010 às 14:49
vi em destaque o blog e parece que vou passar mais vezes :) gostei!! beijinhos
De Anaquegostade... a 27 de Setembro de 2010 às 11:55
Passei no seu blog , trazida pelo Sapo e gostei do que li. Vou passar a passar mais vezes!!!
Gosto!!!
De Pedro Neves a 27 de Setembro de 2010 às 10:59
Bom dia,

O Coisas minhas está novamente em destaque nos Blogs do SAPO, em http://blogs.sapo.pt

Boa continuação!

Pedro

Comentar post

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links