coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ Carnaval palerma

[ arquivos

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Quinta-feira, 16 de Setembro de 2010

Cuidado que ele pode "retirar"!

Leio e cito numa notícia do Público, com o título "SIC condenada a pagar 145 mil euros a Ricardo Rodrigues" que "Ricardo Rodrigues abandonou uma entrevista à revista Sábado, em Abril passado, retirando os gravadores aos jornalistas, quando estava a ser questionado sobre o relacionamento da sua demissão do governo açoriano com o escândalo da pedofilia". Na noticia é de novo referido que as reportagens da SIC "divulgadas em Dezembro de 2003 (...) indiciavam Ricardo Rodrigues como implicado no processo de pedofilia". Por causa disto o Sr. Ricardo Rodrigues pôs um processo em tribunal à SIC, que pelos vistos ganhou, e provocado pelo aflorar do mesmo assunto pelos jornalistas da Sábado durante uma entrevista retirou-lhes os gravadores. As imagens em vídeo, se se recordam, mostram-no a pegar nos dois gravadores e a levá-los ao bolso. Quase uma semana depois veio depois assumir publicamente a culpa, mas sem devolver os gravadores, dizendo que foi um acto irreflectido. Estranho que numa pessoa a quem alguém reconhece qualidades para ser deputado precise de tantos dias para arrefecer as ideias e perceber o disparate que fez.

Na notícia do Público gosto do cuidado na escolha do verbo para identificar a acção. Algum órgão de comunicação menos escrupuloso podia ter escrito "roubou", ou nalguma comunicação menos formal podia-se dizer "gamou", "surrupiou", "subtraiu", "fanou". Não sei qual seria mais correcto porque pelas últimas notícias que conheço do assunto os proprietários dos gravadores ainda não os tinham visto devolvidos. Mas o Público foi esperto ao usar o verbo 'retirar'. Só temo que tocando no assunto do "escândalo da pedofilia" que, noticia bem o público "O tribunal deu como provado que o ex-governante açoriano "não foi interrogado", nem "constituído arguido" e "nem sequer referenciado como suspeito de quaisquer actos que estiveram a ser investigados" no processo de pedofilia, entretanto já julgado", temo que por causa disto o Sr. Ricardo Rodrigues também queira "retirar" de circulação todas as edições de hoje do Público. Eu já guardei a minha... A notícia do Público está aqui.

publicado por coisas minhas às 18:17
link do post | comentar | favorito

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links