coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Ronaldo é apresentado hoj...

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ arquivos

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Quinta-feira, 19 de Março de 2009

Perigo: carraças!

Em Miranda do Douro alguém colocou perto do embarcadouro para o cruzeiro ambiental uma placa com um fundo amarelo em que sobressai a figura de um crocodilo, e com duas frases em inglês: Danger Crocodiles / No swimming.

O vice-presidente da Câmara de Miranda do Douro considera que a intenção era impedir os visitantes de tomarem banho. Com um aviso destes eu nem sequer entrava no barco, mas enfim. Ainda que seja pouco plausível a existência de crocodilos na zona, a placa pode ter convencido alguém a não se banhar ali. É por isso uma ideia meritória que devia ser estendida a outras zonas e aplicações.

Por exemplo, eu colocaria uns avisos a dizer "cuidado: pulgas!" mesmo onde acaba o passeio para peões e começa a rua. Assim talvez houvesse menos artistas a caminhar ao longo da rua em vez de usar os passeios.Igualmente, ao longo das passadeiras colocava um "Cuidado: piranhas!", para que ninguém atravessasse fora da passadeira.

Não só para peões mas também para condutores haveira sinalética pedagógica. Colocaria uma placa avisando para o perigo da flatulência dos cavalos da GNR. Assim, aqueles que no pára-arranca conduzem de vidro aberto e chutam a beata pela janela fora quando acaba o cigarro, talvez passassem a conduzir de vidro fechado, e quando a beata acabasse mandavam-na algures para dentro do carro.

Esta pretensa pedagogia podia evoluir por outros sentidos. Nalgumas ruas colocaria "Cuidado: donos porcos de cães!" para avisar os incautos para a sujidade deixada pelos cães cujos donos não cuidam de apanhar.

Por fim, e em vez de placas para sinalização vertical nos espaços públicos, fazia uns autocolantes para usar quando se anda de transportes públicos, e alguém despropositamente obeso, ou simplesmente estúpido, insiste em nos apertar, pisar ou arranhar com a pasta ou o saco das compras: "Cuidado: carraças!".

publicado por coisas minhas às 15:03
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Kruzes Kanhoto a 29 de Março de 2009 às 00:05
Gostei. Especialmente quanto aos donos porcos de cães. Uma verdadeira praga.
De siri a 24 de Março de 2009 às 00:26
ahahahah
essas medidas são deveras interessantes. =D

Comentar post

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links