coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Ronaldo é apresentado hoj...

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ arquivos

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Sábado, 10 de Março de 2007

Festival da canção

A esta hora já deve ter acabado. Sim, quase de certeza já acabou. Pelo sim e pelo não é melhor nem ir ver. Há um par de horas atrás percebi, a meio de um zaping, que aquilo que via no ecrã era o Festival da Canção. Mudei depressa para outra coisa qualquer, carreguei à toa em botões, volume, setup, teletexto e sei lá que mais, se é que não desliguei logo.

Não vejo o mínimo sentido em se continuar a fazer este Festival. "Mudam-se os tempos, muda-se a vontade, muda-se o ser, muda-se a confiança. Todo o mundo é feito de mudançao tomando sempre novas variedades (...) e já nada muda como soía". Se estas palavras do formidável soneto de Camões mantêm a sua verdade, como é possível que haja pessoas a continuar a querer fazer o Festival da Canção?!?!?

Porque insistem? O festival já não é um nado morto, é menos que um múmia. A sua fundamentação remonta a tempos que já se extinguiram há muito, os do único canal televisivo nacional na maioria, senão na totalidade, dos países participantes. Há quanto tempo as coisas já não são assim?

E para que serve aquilo agora? Serviu, na origem e primeiros tempos, para lançar artistas, mas dos últimos anos ficou algum? E as melodias, alguém sabe trautear um pouco de uma dos últimos dez anos? Dos últimos cinco... talvez?...

À cautela não vou ligar o televisor, não vá aquilo ainda estar na pré-lavagem. Consola-me a quase certeza de saber que, pelo menos, não estará nos resumos de notícias que verei amanhã, e se vir esquecerei tão depressa como um qualquer diálogo da Florimurcha ou dos Morangos Enjoativos.

publicado por coisas minhas às 23:43
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Kinynha a 21 de Março de 2007 às 16:44
Comletamente de acordo... sem tirar nem pôr ...eu cá também não vejo nada disso.......... felizmente, que posso ver outros canais com outra qualidade que a TV portuguesa...
De Chico a 12 de Março de 2007 às 22:35
Concordo plenamente contigo. Aliás eu nem fazia ideia que ainda havia um festival da canção. Cada vez que me recordo de algumas musicas que ganharam festivais da canção só me dá vontade de rir.
Enfim é a cultura que temos...

Comentar post

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links