coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ Carnaval palerma

[ arquivos

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Sexta-feira, 14 de Março de 2008

Aqui Portugal, ali Europa

É curioso com ouvimos coisas que não escutamos e, um dia, de repente relembramo-las todas e extraímos um sentido ao conjunto.

Há dias o senhor da meteorologia indicou a previsão do tempo e depois disse algo com o ”...quanto à Europa...”. É isso mesmo, não disse “o resto da Europa”. Será que Portugal já não está na Europa? É verdade que está lá muito pouco no que diz a níveis salariais, de educação, de acesso à saúde, de civismo e em tantas outras coisas, mas será que se afastou de vez?

Também há dias ouvi alguem na Sky News dizendo “..the UK and Europe”. É verdade que os ingleses nunca quiserem muito ser europeus. Primeiro são ingleses, escosseses, galeses ou irlandeses, só depois poderão, eventualmente, ser europeus. Mas aquele “..the UK and Europe” é sintomático.

Entretanto a Turquia anda a todo o custo conseguir entrar na União Europeia, que apesar de ser uma organização política e por isso não ter que estar vinculada a contigências geográficas, não deixa de ser verdade que os elementos aglutinadores são os que foram propicionados precisamente pela situação geográfica.

No meio disto tudo, por fim, lembrei-me da única peça de teatro que vi com o Mário Viegas (que vergonha, a única mesma!...). Chamava-se, salvo erro, “Europa Não, Portugal Nunca”. Foi na altura da sua candidatura à presidência da República, em que concorreu com Jorge Sampaio, que viria a ganhar. Foi por isso há uns 12 ou 13 anos. Parece-me que já na altura ele teria razão...

publicado por coisas minhas às 23:48
link do post | comentar | favorito

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links