coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Ronaldo é apresentado hoj...

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ arquivos

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Sábado, 30 de Janeiro de 2010

Coisa parva

Há uma frase de Einstein sobre o infinito que é mais ou menos assim: só há duas coisas infinitas, o Espaço e a estupidez humana, e mesmo assim não tenho a certeza quanto ao primeiro.Lembrei-me disto a propósito de uma notícia em que encalhei enquanto surfava na web: Cão que ladra já tweeta.

Alguém se deu ao trabalho de arranjar um gingarelho que pretende interpretar por palavras as actividades quotidianas do cão. E como vai estar à venda é porque há mercado, que é como quem diz, há quem compre...

Para mim já ganhou o prémio Ignobil de 2010.

publicado por coisas minhas às 23:03
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2010

Coitadinho...

Segundo a notícia do Público de hoje, Domingos Névoa perde 30 mil euros por dia por causa de Sá Fernandes. Em causa está o facto de este último lhe ter chamado "bandido". Como eu não tenho dinheiro para advogados, nem tempo para chatices, não digo se concordo ou não, nem que epítetos lhe aporia, ou não. Quem devia julgar já julgou. Em tribunal ficou provado que Domingos Névoa tentou corromper e foi castigado.

Parece agora o dito indivíduo lamentar-se de continuar a ser castigado por  outras formas. Leio na notícia, e copio o texto, que Hernâni Cotovedo, economista da Rodrigues & Névoa, confirma os prejuízos financeiros para as empresas do grupo. "As declarações de José Sá Fernandes tiveram repercussões ao nível das análises de risco e dos contactos com os bancos", afirmou. Cotovedo considerou ainda que o impacto mediático destas afirmações levou a um agravamento das condições do contrato de concessão dos stands Carclass à Rodrigues & Névoa pela Mercedes-Benz.

Pessoalmente não tenho pena nenhuma. Ficou provado que este indivíduo tentou corromper e isso, para mim, descredibiliza-o para sempre. Creio que nunca faria negócios com ele, e compreendo que outras empresas agravem as condições de contrato acordadas com ele ou empresas suas. Vou mais longe até. Não tenciono ter um Mercedes, mas se a ligação sugerida no texto fosse mais directa, seria uma muito boa razão para não comprar.

Quem diz perder 30 mil euros por dia tem muita margem de conforto por trás. Não tenho pena nenhuma dele.

A notícia do Público está aqui.

publicado por coisas minhas às 23:32
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 19 de Janeiro de 2010

Parabéns incompetência!

Segundo as notícias o Presidente da República vai hoje homenagear
Santana Lopes por exercício de "funções públicas de alto relevo". Será
agraciado com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo, que distingue "destacados
serviços prestados ao País no exercício das funções dos cargos que
exprimam a actividade dos órgãos de soberania ou na Administração
Pública, em geral, e na magistratura e diplomacia, em particular",
segundo a página na Internet da Presidência da República.
Há uns anos, na Era do Cavaquistão, nunca imaginaria que viria a
concordar com Cavaco. Mas desta vez concordo. É um sapo que custa um
pouco a engolir, mas até tem o seu sentido. Num país onde se premeia a
incompetência é mais que justa esta homenagem aquele que foi
consensualmente reconhecido como o pior primeiro-ministro da história
de Portugal.
E com um Presidente da República como este não era de esperar outra
coisa. Procuram salvá-lo da crítica dizendo que Cavaco é um
processualista, que como Santana era o único antigo chefe de Governo
que não tinha sido ainda agraciado, então leva por tabela. Não seria
de esperar que a mais alta figura do Estado soubesse separar o trigo
do joio, premiando quem merece e não apenas pelo critério de ter
desempenhado certas funções. O desempenho das funções é um facto que
se constata. A qualidade com que se desempenham é uma avaliação
política, que foi bem feita por Jorge Sampaio na devida altura. Fosse
ele presidente, e esta homenagem ocorreria?
publicado por coisas minhas às 13:47
link do post | comentar | favorito

Nobre resposta

Ouvi com atenção na TSF a notícia sobre a partida, hoje, do
navio-escola Sagres numa volta de circum-navegação de onze meses.
A dada altura o repórter diz algo como:
- Estamos no convés do navio - e pergunta - este é espaço nobre do navio?
E o seu interlocutor, marinheiro orgulhoso, sustém a resposta por um
segundo, e diz com a maior certeza do mundo:
- o navio todo ele é nobre.
Nobre resposta!
publicado por coisas minhas às 13:45
link do post | comentar | favorito
Domingo, 3 de Janeiro de 2010

Do ano ou do século, mas é disparate!

Deve haver algures alguém que contabilize ou defina qual terá sido o disparate da década, tal como há a foto do ano, e outras coisas assim que têm o estranho dom de combinar o definitivo, o efémero e o supérfluo. Um três em um. Sendo tão definitivo, efémero e supérfluo como qualquer outra coisa, sugiro como disparate da década o que eu hoje ouvi.

Comecei por ouvir o disparate num noticiário de manhã do Euronews. Chamou-me a atenção ouvir o locutor dizer que dois gémeos tinham nascido com uma década de diferença. Sem conseguir acompanhar o noticiário fiquei a pensar que talvez fosse um caso de embriões que tivessem sido separados, que um tivesse sido congelado e só agora tivesse nascido, se é que isso é possível. Enfim, foi um pensamento fugidio sobre algo que ouvi de raspão e da qual não consegui repetição.

No noticiário da RTP à noite a notícia apareceu de novo, parecendo uma cópia simples da notícia original, um copy-paste que alguém se limitou a traduzir para o locutor ler sobre as imagens. Vi a notícia no noticiário da RTP e escandaliza-me que ou ninguém tem dois dedos de testa para perceber a dimensão do disparate que vieram a dizer, ou a notícia não passou pelos olhos de ninguém. Em resumo, ou todos aqueles por quem passam as notícias são burros, ou as notícias não passam por ninguém.

Fui ao site da RTP rever o noticiário e lá está a notícia que começa aos 29'23''. E aí o pivot diz que "nos Estados Unidos dois gémeos idênticos nasceram com uma década de diferença. Marcelo nasceu nas últimas horas de 2009, nos últimos minutos da primeira década do século, e Stefano nos primeiros minutos deste ano, desta segunda década." O resto da notícia são banalidades ainda mais desinteressantes, o que é um prodígio pela negativa. Repare-se no texto que acompanha a notícia: INSÓLITO: Gémeos idênticos da Florida nscem com década de diferença:

 

No noticiário da SIC à noite o assunto também apareceu, mas aqui devidamente tratado. Alguém com dois dedos de testa pegou na notícia tal como veio da agência noticiosa ("gémeos nascem com década de diferença") e tratou o assunto. Deve ter pensado "Como pode acontecer tal coisa? Nascerem com uma década de diferença"? Na peça jornalística o disparate foi esclarecido. Foi um nascimento banal de dois gémeos que, natural e obviamente, nascem com um intervalo de segundos ou minutos, no máximo. Só que um nasceu às 23h59' de quinta-feira, 31 de Dezembro de 2009, e o outro pouco tempo depois já depois da meia noite e, por isso, já na sexta, dia 1 de Janeiro de 2010. E por causa de o ano acabar em zero (2010) alguma mente com uma baixa densidade de neurónios achou que tinham nascido em décadas diferentes.

Quem na SIC tratou a notícia teve o cuidado de ir perguntar se era assim mesmo ou não. Foi entrevistado o vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática que explicou que uma década é um conjunto de dez anos, que começa no 1 e acaba no 10 e lembrou que as comemorações da passagem do milénio de 1999 para 2000 foram matematicamente erradas porque o último ano do milénio, de um conjunto de mil, foi o ano 2000 e que o milénio só começou no ano 2001, pelo que a primeira década termina no fim do corrente ano, 2010. Ressalvou que apesar da correcção matemática as pessoas ligam aos números - como a tantas outra futilidades, digo eu - e a maioria não quer saber da correcção matemática. E assim devidamente esclarecido o disparate da notícia original a SIC fez uma interessante peça jornalística.

Voltei ao site da RTP para ouvir, de novo a notícia, e não ouvi em momento algum que o nascimento tenha ocorrido com minutos de intervalo. Ouvi apenas, de novo, o mesmo disparate: "dois gémeos idênticos nasceram com uma década de diferença". Já é disparate suficiente dizer-se que 2010 é de uma década diferente da de 2009, mas daí até dizer que há uma década de diferença entre aqueles dois nascimentos separados, na verdade, apenas por alguns minutos é burrice vergonhosa.

É triste o exemplo da RTP. Costuma ter nos noticiários, os da manhã pelo menos, uma coisa a que chama Bom Português e onde pergunta a pessoas na rua como se escreve determinada palavra ou expressão que podem suscitar dúvidas. No final uma voz diz "assim se escreve em Bom Português". Se há o "assim se fala em Bom Português", também devia haver o "assim se pensa em Matemática correcta". E se antes tivessem visto a notícia bem tratada pela SIC deviam dizer para si próprios "assim se faz bom jornalismo".

Talvez os jornalistas da RTP não se importem se lhes disserem que o salário deste mês só será entregue daqui a uma década, certamente não lhes fará pensar sobre o assunto porque ignoram o que seja uma década.

E por fim o mais irónico, ou triste, já nem sei. O pivot que leu e disse a notícia foi José Alberto Carvalho o actual Subdirector de Informação segundo o site da RTP onde surge uma sua nota biográfica.

publicado por coisas minhas às 22:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links