coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Ronaldo é apresentado hoj...

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ arquivos

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

Playback olímpico

Li na BBC[1], no DN[2] e no Público[3] que a menina que cantou na abertura dos Jogos Olímpicos estava a fazer playback. Ou se cantou a voz que se ouviu não era dela mas de outra.

O problema dos organizadores foi que tinha melhor voz não era tão bonita, tão "perfeita" como a menina que apareceu. Assim, uma apareceu parecendo cantar, a outra não apareceu e cantou. Vimos uma, ouvimos a outra.

O argumento justificativo da organização foi a de conseguir uma mensagem perfeita pelo interesse do país. Se não soubessemos desta troca, julgaríamos talvez que aquela bonita criança estaria a cantar mesmo muito bem. Foi uma aldrabice aparentemente bem intencionada, mas não deixa de ser uma aparência, mais uma.

No final, não sei se não estarão a fazer justiça à fama que a China tem no Ocidente, de ser a origem da maior parte das contrafações. Tudo se pode piratear, até a voz de quem canta, mesmo que seja na abertura dos Jogos Olímpicos, onde a ética devia ser superior.


Ligações:
publicado por coisas minhas às 14:04
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 8 de Agosto de 2008

Desporto, dizem eles...

Já esperava isto, mas tinha uma réstia de esperança de que não acontecesse. Já há quatro anos foi assim. Esperava que tivesse evoluído, mas não, continua na mesma. Há em Portugal três grandes jornais que se dizem e são referidos com "desportivos", ou "de desporto": A Bola, o Record e O Jogo. Hoje, 8 de Agosto de 2008, dia de arranque dos Jogos Olímpicos de Pequim, o maior evento desportivo mundial, estes três jornais têm as seguintes notícias:

A Bola dá um pequeno destaque aos Jogos Olímpicos logo abaixo do nome do Jornal com a legenda"começa a festa universal". Ocupará cerca de um quarto da altura da página, o resto é futebol, mas é muito mais do que eu esperava, confesso. É, destes jornais, o que maior destaque dá. - O Jogo não dá qualquer destaque aos Jogos Olímpicos. Nem uma foto, nem um cabeçalho, nada. As únicas notícias e títulos são de futebol. Para

 

O Jogo parece que só o futebol é jogo, os outros desportos não são nada, não lhes interessam. Já nem sonho que possam noticiar Esqui, Hóquei no Gelo ou Curling, que são desportos de Inverno de de países mais frios. Mas será que nunca ouviram falar de Badminton, Vela, Judo, Tiro ao Arco, Atletismo em todas as suas variedades, Xadrez, Automobilismo, Xadrez, Basquetebol, Andebol, Hóquei em Patins, Voleibol, Karaté, Natação, Equitação? A mim não me interessa este jornal.

Por fim o Record dá uma pequena notícia. Em grande tem a fotografia de um jogador - de futebol, claro! - que chegou ontem. Não ganhou, não marcou golos, não conseguiu nenhuma proeza nem cometeu nenhum crime, apenas chegou. E por isso e é notícia em grande, enchendo quase toda a página. À volta, fora a publicidade, há mais notícias (de futebol...) e lá aparece uma caixa pequena dizendo "JOGOS OLÍMPICOS PEQUIM 2008, Portugal sonha na China". Ocupa mais ou menos 3% de toda a página. Para este jornal é isso quanto valem os Jogos Olímpicos face ao futebol: 3%.

publicado por coisas minhas às 10:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 7 de Agosto de 2008

A RTP e os Jogos Olímpicos

Ouvi há pouco na rádio Antena 1 (do grupo RTP) que "os Jogos Olímpicos são o maior evento desportivo mundial". A RTP (tv) programou para as 23h00 a transmissão em diferido da cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, que durará cerca de três horas. Transmite em directo na RTP2 à tarde.

Quem trabalha não poderá ver em directo, mas poderia ver em diferido a horas decentes. A importância deste evento justificaria que a sua transmissão em diferido fosse a uma hora que alcançasse mais espectadores, e que não os obrigasse a ficar acordados até altas horas para a ver na integra. Mas não, alguém decidiu que a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos podia começar a ser transmitida às 23h00, pelo só deve acabar às duas da manhã.

Mesmo sendo véspera de fim-de-semana, quem trabalha tem cansaço que gostaria de vencer com um sono decente. Mais estranho é esta opção da RTP porque estão programados para depois do Telejornal dois programas que não são transmitidos em directo e que não têm qualquer relação do seu conteúdo com a data ou época de emissão. São o "Sabe mais que um miúdo de dez anos" e o "Conta-me como foi". Não há prejuízo algum em que não sejam emitidos no dia previsto. Porque não são adiados para outro dia?

É de apostar que, por força do acordo que a RTP alcançou para a transmissão de jogos de futebol, esta não hesite em não transmitir alguns programas só para transmitidos jogos nacionais em directo. Vai abdicar sem problemas de um qualquer programa, até do Telejornal à hora normal, só para dar um jogo qualquer.

Os Jogos Olímpicos são a expressão máxima do desporto, um simbolo da nossa civilização, são de facto o maior evento desportivo mundial, mas a Direcção de Programas da RTP não parece perceber o que isso significa.

publicado por coisas minhas às 16:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 6 de Agosto de 2008

A verdade coberta

Leio no Diário de Notícias que “Berlusconi manda cobrir o seio da Verdade nua”, um quadro de Gianbattista Tiepolo que está no Palazzo Chigi, o equivalente ao Palácio de São Bento em Lisboa. Segundo a notícia “a obra (...) tinha sido uma escolha pessoal do próprio Berlusconi”. O quadro mostrava a Verdade nua. Agora já não está.

Ao que consta, a justificação para a adulteração da obra de arte foi porque “o seio e o mamilo apareciam mesmo no meio das imagens televisivas durante as conferências de imprensa”.
Pessoalmente considero que, se não todos, pelo menos a grande maioria dos seios e mamilos femininos são mais atraentes que a figura de Berlusconi, mas isso não deixa de ser uma questão de gosto. De qualquer forma, esta atitude demonstra uma prepotência inculta que resulta nesta desconsideração pela arte. Em vez de remover a obra, ou fazer as conferências de imprensa noutro local, adulterou-se a obra.
Lembro a este propósito uns quadros que vi há uns vinte e cinco anos, talvez, salvo erro no Museu do Prado em Madrid, onde um excelente guia explicou muito bem a parte da pintura espanhola.
Lembro-me, entre outros, dos quadros da “maja desnuda” e da “maja vestida”, feitos com poucos anos de intervalo. Um mostra uma mulher nua, uma Maya, que terá sido o primeiro nú totalmente profano na história da Arte ocidental, segundo leio na página sobre Goya na Wikipédia. O quadro gerou tal contorvésia que foi exigido a Goya que lhe pintasse umas roupas. Ele recusou e fez nova versão do quadro, a mesma mulher, no mesmo espaço, na mesma pose, só que com roupa.
publicado por coisas minhas às 22:18
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 1 de Agosto de 2008

como ser pequeno

No final do mês passado a Naide Gomes obteve a melhor marca mundial do ano. Fez prova de que é, no momento, a melhor do mundo. No noticiário da TV a notícia durou alguns segundos apenas, e a única imagem era uma foto dela em fundo, nada de imagens do salto, ou sequer imagens de arquivo, só a foto.

No mesmo dia o jogador de futebol Petit foi para o estrangeiro, para outro clube. Teve direito a reportagem televisiva, e a muito mais tempo de antena. Não é o melhor do mundo, talvez venha a ser - seria bom - mas não é, não fez nenhum golo especial, nenhum jogo extraordinário naquele momento ou por aqueles dias, apenas se foi embora, mudou de clube, de país, procurando outra vida. Fez bem, mas nada que justifique a entrevista no aeroporto, acho eu.

É impressão minha ou ele teve aquele tempo de antena todo só por ser futebolista? É nestas coisas que somos pequenos. O bom, o melhor do mundo só o é para esta comunicação social quando é futebol.

publicado por coisas minhas às 22:18
link do post | comentar | favorito

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links