coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Mundo pequeno, ignorância...

[ Facetime para todos?

[ Ronaldo é apresentado hoj...

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ arquivos

[ Outubro 2020

[ Setembro 2020

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Sábado, 6 de Outubro de 2007

Calinadas

Eu já disse muitas calinadas, algumas, por vergonha não quero lembrar. Tenho por isso telhados de vidro e não devia atirar pedras. Mas atiro...

O que adiante comento são frases que ouvi de pessoas a falar em directo para a televisão. Sendo profissionais do ramo deviam estar preparados para não dizer disparates. Mas se até no melhor pano cai a nódoa, então todos têm o direito de fazer asneira.

Salvaguardado esse direito, e por puro humor, passo a relatar.

Ontem vi alguém da SIC a falar do desfile de hoje para comemorar o aniversário da telvisão. Disse algo como "isto é um desfile a que os lisboetas já se habituaram desde que começámos o ano passado...".

Pois... Ora se "hábito é uma "disposição adquirida pela repetição frequente de um acto" ou "maneira usual de ser", conforme encontro no site da Língua Portuguesa On-Line, então se o desfile é para comemorar o aniversário então é anual (a não ser que contem pelos anos de Mercúrio e celebrem aniversários mercurianos de 80 e tal em 80 e tal dias...). Ora sendo anual e só tendo começado no ano passado, como é que já é um hábito? Onde está a "repetição frequente"?

Hoje, a propósito do mesmo desfile, uma repórter disse do desfile algo como "o início está quase a começar". Esperemos então que o início comece para o resto se lhe seguir. Será que, caso haja algum contratempo, conseguem fazer o resto sem o início?...

publicado por coisas minhas às 16:19
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Magda a 28 de Novembro de 2007 às 11:29
obrigada, foi mesmo útil este link
Língua Portuguesa On-Line

Comentar post

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Outubro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links