coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Ronaldo é apresentado hoj...

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ arquivos

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2007

Ah! Carnaval!...

Desfiles, máscaras, escolas de samba!...
Eu devo ser um extraterrestre... Aliás, sob essa suspeita, publicarei aqui em breve outros textos. Para já fico pelo Carnaval.
Creio que o Carnaval terá origens pagãs, como têm a maior parte das festividades actuais, ainda que beaticamente rotuladas de outra coisa. Como ainda não sei tudo o que quero sobre isto, não me alongo.
Gosto do Carnaval das máscaras, das brincadeiras que ninguém leva a mal, da folia colectiva que tanta falta faz a nós todos. Divertir é uma excelente panaceia.
Porém, abomino os Carnavais (é assim o plural?) com samba. O samba é uma dança popular brasileira e, mesmo assim, só de uma parte do Brasil. Para o norte do Brasil o Carnaval já é muito diferente. E cá? Dançar o samba em Portugal, a chover, com frio, só porque é Carnaval parece-me do mais surrealista que há. Não deixa de ser agradável ao olhar masculino as meninas parcamente vestidas, balançando-se efusivamente, enquanto nos passeios todos tiritam de frio e sacodem a humidade. Mas tem tanto sentido como enviar em Agosto postais de Natal a dizer que a praia está boa.
E a música nas ruas, porque tem que ser brasileira?
Há para o norte de Portugal, não sei ao certo onde, a tradição carnavalesca de os homens se vestirem completamente e com máscaras de madeira, e assim andam pelas ruas das aldeias durante este dia. Esta é uma festa popular, que tem, necessariamente, origens locais e, consequentemente fundamentação. Mas não são mais que curiosidades quando são noticiadas. O samba vende mais, e pronto.

publicado por coisas minhas às 11:58
link do post | comentar | favorito

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links