coisas que me passam pela cabeça, e outras que vão ficando

[ textos recentes

[ Ronaldo é apresentado hoj...

[ O homem que não existe

[ Sábios conselhos

[ Coisas úteis (?) que se a...

[ We Go ou Nós Vamos?

[ Eusébio no Panteão não. P...

[ Viva la vida loca aos 80!

[ Não tenho dinheiro para u...

[ A senhora engorda e volta...

[ Al Capone era Tuga

[ arquivos

[ Julho 2018

[ Março 2016

[ Agosto 2015

[ Junho 2015

[ Março 2015

[ Março 2014

[ Março 2013

[ Fevereiro 2013

[ Julho 2012

[ Maio 2012

[ Outubro 2011

[ Agosto 2011

[ Junho 2011

[ Abril 2011

[ Janeiro 2011

[ Novembro 2010

[ Outubro 2010

[ Setembro 2010

[ Agosto 2010

[ Junho 2010

[ Maio 2010

[ Março 2010

[ Janeiro 2010

[ Dezembro 2009

[ Novembro 2009

[ Outubro 2009

[ Julho 2009

[ Junho 2009

[ Maio 2009

[ Abril 2009

[ Março 2009

[ Fevereiro 2009

[ Janeiro 2009

[ Dezembro 2008

[ Novembro 2008

[ Outubro 2008

[ Setembro 2008

[ Agosto 2008

[ Julho 2008

[ Junho 2008

[ Maio 2008

[ Abril 2008

[ Março 2008

[ Fevereiro 2008

[ Janeiro 2008

[ Dezembro 2007

[ Novembro 2007

[ Outubro 2007

[ Setembro 2007

[ Agosto 2007

[ Julho 2007

[ Junho 2007

[ Maio 2007

[ Abril 2007

[ Março 2007

[ Fevereiro 2007

[ tags

[ todas as tags

Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007

Só 20 segundos

Há na rádio um anúncio de uma marca de mobiliário para escritórios que me suscita uma questão a que não consigo responder. Uma voz masculina e uma feminina vão enumerando, ora um ora outro, alguns nomes de auditórios e bibliotecas. “Auditório da Faculdade X...”, “Biblioteca da Y...”, “Auditório da N...”, “Biblioteca Municipal de...”, sugerindo que estão todos equipados por aquela marca. No final há duas frases seguidas:
Homem: “E não podemos dizer mais”.
Mulher: “O anúncio só tem vinte segundos”.

A minha dúvida está precisamente no ínfimo instante entre estas duas frases. O que as separa? Um ponto final ou uma vírgula? Mais, estarão relacionadas?

Parece-me que a ideia que se quer transmitir é que “não podemos dizer mais” nomes de bibliotecas e auditórios equipados por aquela marca porque “...o anúncio só tem vinte segundos” e, portanto, não há tempo para mais.

O problema é que este ‘porque’ que eu escrevi não está no texto, é uma inferição forçada, ainda que levemente. Nada me garante que as frases não estejam separadas por um ponto e, assim, o facto de não poderem “dizer mais” nomes de de bibliotecas e auditórios não tem relação com o facto de o anúncio só ter “vinte segundos”. Sendo assim, o anúncio bem podia ter uma hora que continuariam a não poder “dizer mais” porque não haveriam mais nomes de espaços a enumerar.

publicado por coisas minhas às 08:32
link do post | comentar | favorito

[ quem sou

[ pesquisar

 

[ Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

[ links